Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /var/www/html/palasathena.org.br/web/gc/sql.inc.php on line 67 Palas Athena
  • Home
  • 21ª Semana Gandhi | 2002
21ª Semana Gandhi | 2002


Programa
 
Dia 02 – quarta-feira – 19h30
Exibição do vídeo Uma Força Mais Poderosa
Um Século de Conflitos Não-Violentos
Palas Athena
 
Dia 05 – sábado
9h a 13h - A Paz Pede Parceiros
Espaço Gandhi
 
18h - Leitura Poética de Gandhi
Hamilton Faria e Vera Salles
 
18h30 - mesa redonda
Não-Violência - Diálogo e Cooperação
Vera Lucia Paes de Almeida, Maluh Barciotte e Lucia Benfatti
Mediador: João Moris
 
Dia 17 – quinta-feira – 14h a 17h
no Clube Paineiras do Morumbi
Vida e obra de Gandhi – contribuições para o 3º milênio
Lia Diskin
 
 
A PAZ PEDE PARCEIROS
Programa
 
9h a 9h30
Saudação à Vida
Focalizadora: Jeanne Kuk
 
Por meio de movimentos corporais simples e suaves, vamos despertar a consciência e reverenciar a vida. Assim, poderemos acalmar a mente e o coração, cultivar a atenção e equilibrar as emoções, alongar e tonificar os músculos.
 
 
9h30 a 10h
Caminhada Silenciosa
Caminhar silenciosamente nos remete a um momento diferente do cotidiano, em que o ambiente a ser percorrido – caminhos, árvores e pássaros, e sobretudo as pessoas – pode proporcionar ao caminhante uma interação e uma identificação fora do comum. Tudo é sentido passo a passo. O tempo se transforma. Caminharemos com calma, atentos a tudo o que passa ao nosso redor. Será um convite à percepção e ao contato sem palavras. Simbolicamente evocaremos a Marcha do Sal que, liderada por Gandhi, foi uma das primeiras mobilizações pacíficas que uniu milhões de pessoas, conseguindo a independência e a liberdade do seu país sem recorrer à violência.
 
10h a 12h30
Dobrando Papel, (Des)dobramos a Paz
Focalizadoras: Alzira Cattony, Jeanne Kuk, Silvia Brand
 
A arte de dobrar o papel – Origami – conhecida há séculos no Japão, é fascinante por transformar um simples pedaço de papel nas mais variadas formas. A figura em papel da ave tsuru (garça) é uma das mais populares e belas do Origami. Os tsurus representam a Paz, a Saúde, a Longevidade e a Fortuna. Ao criar em papel estes pássaros, podemos despertar nossas intenções de Paz e Solidariedade.
  
10h a 12h30
Oficinas de Simplicidade e Não-Desperdício
Focalizadoras: Márcia Siqueira Brito, Marisa Sanches, Ângela Camarneiro e Raí Assis de Oliveira.
 
Baseiam-se em trabalhos simples feitos de forma cooperativa e no aproveitamento de materiais, para criação de brinquedos e arranjos, resgatando a prática saudável do fazer e construir com as próprias mãos.
 
Bonecos de Pano
Fuxico (técnica com retalhos)
Arranjos Florais
 
11h a 12h
Momento Poético – em...cantando as oficinas
Focalizadores: José Gilberto Gaspar, Patrícia Rocco e Luciano Pessoa.
 
A poesia e a música cultivarão no corpo e na mente as idéias-coração, para construir novos sonhos e iluminar nossa imaginação.
 
12h a 12h30
Dança da Paz
Focalizadora: Miriam Dascal
 
É uma construção grupal. Vivência corporal, fusão das energias físicas e mentais, que trazem bem-estar e leveza. Nesse estado de atenção construímos, a partir da improvisação de movimentos, uma grande “teia”, onde vigora a sensibilidade, a arte corporal, a cooperação, a participação. Acompanhados pela melodia, os movimentos dos corpos se conectam partilhando o vigor e a alegria de viver a Paz.
  
12h30 a 13h
Celebração final
Dança Circular - Viva a Diferença!
Focalizadora: Bia Esteves
 
De mãos dadas na roda, vamos unir, por meio do canto e da dança, as culturas de vários povos. Na diversidade emergirá a beleza,a alegria e o encanto da unidade. As Danças Circulares, conhecidas como Danças de Roda, têm suas raízes nas tradições de todos os povos, épocas e culturas, com forma de celebração da vida criando, por meio da arte um espaço de harmonia, amizade, alegria e paz. O canto e a dança promovem a consciência do corpo, coordenação motora, noção de ritmo, concentração, liberação das tensões e desbloqueio da voz. O resgate das danças circulares é uma contribuição valiosa porque estimula a vivência do sagrado, na medida em que nos reconhecemos como parte de um todo indivisível, representado pela Roda da Dança.